Gerador de sinal RF – O que é e para que serve!

Em Instrumentos de medição por Pedro Alves

Você sabe o que é um gerador de sinal RF? Sabe para que serve este gerador? Este é um dispositivo muito útil em um laboratório de eletrônica, mas que poucas pessoas têm conhecimento sobre as suas aplicações e características. Iremos responder essas perguntas e dar muito mais detalhes sobre o gerador de sinal RF. Então, bora aprender eletrônica!

O que é gerador de sinal RF

O gerador de sinal RF é um instrumento de teste, que é basicamente uma fonte de sinal capaz de gerar sinais de radiofrequência (RF) com características bem específicas e conhecidas como, por exemplo, o tipo de modulação e a frequência e amplitude deste sinal. Dessa forma, é possível avaliar a resposta do circuito, e saber exatamente como está o seu funcionamento.

Aplicação para o gerador de sinal RF

O gerador de sinal RF é uma ferramenta usada para fazer testes e avaliações de circuitos de alta frequência. Além disso, estes geradores de sinais RF são muito usados em laboratórios de teste que lidam com equipamentos de rádio de vários tipos, sendo utilizados em praticamente tudo, tais como:

Diferente de outros equipamentos de teste, não é possível fazer medições com o gerador de sinal. Porém, ele fornece as melhores condições para outros instrumentos de teste medirem os sinais de saída da unidade que está sendo testada.

Os instrumentos utilizados em conjunto com o gerador de sinal são:

Características do gerador de sinal

Um gerador de sinal RF possui vários blocos de circuitos e para formar um gerador de sinal RF básico são necessários quatro blocos, que são:

Atualmente conseguimos encontrar geradores de sinal bem completos, com funções bem interessantes, como a faixa de frequência, modulação e controle.

Faixa de frequência

A faixa de frequência do gerador de sinal RF deve ser bem ampla, com equipamentos que vão de 9 KHz e podem alcançar frequências de até 13 GHz, como é o caso do gerador de sinal DSG3136B da RIGOL.

Características como essa permitem que o equipamento seja utilizado em muitas aplicações, pois assim não vai limitar os testes apenas para verificar a frequência operacional de um determinado aparelho, mas também as frequências que são responsáveis por causar o seu mau funcionamento.

Entenda como funciona um gerador de sinal!

Funções de um gerador de sinal RF.

Modulação

Existem modelos de geradores que têm osciladores integrados, que permitem aplicar modulação ao sinal de saída. Com o avanço da tecnologia as capacidades dos geradores de sinais de RF tiveram que se tornar mais flexíveis, permitindo modulações mais complexas como por exemplo, QPSK e QAM.

Controle

Embora seja muito comum o gerador de sinal ter os controles tradicionais no painel frontal, também existem outras opções para controle remoto. É comum encontrar muitos equipamentos de laboratório com entradas GPIB, RS-232, Ethernet e USB, além de alguns modelos de geradores que têm o formato PXI.

Geralmente os instrumentos de teste com interfaces mais complexas permitem aproveitar o poder de processamento do computador, contribuindo para uma melhor interface homem-máquina (IHM), permitindo reduzir consideravelmente o custo do instrumento. Pra conhecer mais sobre um gerador de RF, assista ao vídeo no canal da RIGOL que mostra mais detalhes sobre a família DSG800A.

Caso você tenha interesse em comprar um gerador de sinal RF, é bom consultar o catálogo da RIGOL, que possui equipamentos de excelente qualidade e um excelente custo-benefício!

Os equipamentos da RIGOL são fabricados na China, mas é possível comprá-los facilmente no Brasil, recebendo uma garantia de três anos, além de toda a assistência técnica.

Qualquer dúvida que você tiver sobre este tema, deixe nos comentários que iremos te responder. E como este artigo provavelmente ajudou você, compartilhe para que mais pessoas consigam aprender eletrônica.

Sobre o autor

Autor Pedro Alves

Pedro Alves atua na área de eletricidade desde 2014 quando cursou Eletromecânica no SENAI. Se tornou eletricista especializado em comandos elétricos e instalações elétricas prediais no ano de 2015. Também é Técnico em Eletrônica pelo CEFET-MG. Trabalha como eletricista autônomo há mais de 4 anos e tem vasta experiência como editor de conteúdo para artigos técnicos na empresa Mundo da Elétrica.

Deixe um comentário